contato@riocasca.mg.gov.br
31 3871-1545 | 31 3871-2164 
2939e110508d2752bdc026aa15a0063f.jpg
Prefeitura Municipal de Rio Casca - Itens filtrados por data: Agosto 2015

Doado à Biblioteca Estadual Luiz de Bessa, em Belo Horizonte, o livro Rio Casca: Apontamentos – Sobre um tempo, uma cidade e um povo..., lançado pela ARCA em 2012 e baseado nos manuscritos do Doutor Benjamin Vieira Coelho e com organização e edição de Raquel Rossini, é disponibilizado no setor especial Coleção Mineiriana, destinado à preservação de obras mineiras raras, de significativo valor cultural. A obra não se encontra disponível para empréstimo, mas, apenas, para consulta local, devido ao seu valor histórico.

A Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, localizada no coração da capital mineira e pertencente ao Circuito Cultural da Praça da Liberdade, foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, em 1954, e criada pelo governador da época, Juscelino Kubitschek. O acervo da biblioteca dispõe de mais de 400 mil exemplares.

A obra do Doutor Benjamin passa a figurar entre os 12.368 volumes do acervo especial da Coleção Mineiriana, onde “há raridades como obras autografadas por escritores mineiros, entre eles Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Henriqueta Lisboa, Murilo Rubião e Pedro Nava”, conforme site oficial do Governo do Estado de Minas Gerais, www.mg.gov.br. O livro não apenas marca a entrada da ARCA no mercado editorial, com o lançamento de sua primeira publicação como editora, mas, também, torna-se um registro histórico da saga do povo rio-casquense ao longo de um século de luta em prol de sua comunidade.

Para quem deseja visitar o acervo da Coleção Mineiriana, o horário de funcionamento do departamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. O endereço desse setor da biblioteca é Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Praça da Liberdade nº 21 – Funcionários, CEP 30140-010, Belo Horizonte.Doado à Biblioteca Estadual Luiz de Bessa, em Belo Horizonte, o livro Rio Casca: Apontamentos – Sobre um tempo, uma cidade e um povo..., lançado pela ARCA em 2012 e baseado nos manuscritos do Doutor Benjamin Vieira Coelho e com organização e edição de Raquel Rossini, é disponibilizado no setor especial Coleção Mineiriana, destinado à preservação de obras mineiras raras, de significativo valor cultural. A obra não se encontra disponível para empréstimo, mas, apenas, para consulta local, devido ao seu valor histórico.

A Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, localizada no coração da capital mineira e pertencente ao Circuito Cultural da Praça da Liberdade, foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, em 1954, e criada pelo governador da época, Juscelino Kubitschek. O acervo da biblioteca dispõe de mais de 400 mil exemplares.

A obra do Doutor Benjamin passa a figurar entre os 12.368 volumes do acervo especial da Coleção Mineiriana, onde “há raridades como obras autografadas por escritores mineiros, entre eles Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Henriqueta Lisboa, Murilo Rubião e Pedro Nava”, conforme site oficial do Governo do Estado de Minas Gerais, www.mg.gov.br. O livro não apenas marca a entrada da ARCA no mercado editorial, com o lançamento de sua primeira publicação como editora, mas, também, torna-se um registro histórico da saga do povo rio-casquense ao longo de um século de luta em prol de sua comunidade.

Para quem deseja visitar o acervo da Coleção Mineiriana, o horário de funcionamento do departamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. O endereço desse setor da biblioteca é Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Praça da Liberdade nº 21 – Funcionários, CEP 30140-010, Belo Horizonte.

Publicado em Notícias

O Ministério da Educação lançou uma chamada pública para Inovação e Criatividade na Educação Básica. O objetivo é criar as bases para uma política pública voltada à inovação na educação a partir do conhecimento da extensão, da distribuição geográfica e do perfil da inovação e da criatividade na educação brasileira. A chamada busca, ainda, identificar a inovação e a criatividade nas áreas de gestão, currículo, ambiente escolar, articulação com outros agentes educativos e métodos e estratégias pedagógicas.

A política pública decorrente da chamada irá fortalecer as organizações que têm propostas inovadoras. As organizações reconhecidas pelo MEC como inovadoras e criativas passarão a ser referência para a educação básica e suas atividades serão divulgadas pelo Ministério.

Podem participar da chamada pública as escolas das redes públicas federal, distrital, estaduais e municipais, escolas privadas de educação básica, associações, organizações sociais, organizações da sociedade civil e instituições educacionais comunitárias, filantrópicas e confessionais que atuam na educação de crianças, adolescentes e jovens.

Segundo Helena Singer, assessora especial do ministro da Educação e presidente do Grupo de Trabalho Nacional que orienta a iniciativa, “as pessoas não têm notícia de que é possível organizar uma escola sem as carteiras enfileiradas de frente para uma lousa, sem as salas de aula, sem os corredores, sem as aulas de 50 minutos, por disciplinas. Elas estudaram em escolas assim, seus filhos estudam em escolas assim, o nome escola já remete a este formato. Então, é fundamental divulgar novas referências, organizações que garantem os processos de aprendizado em estruturas que dialogam mais diretamente com os desafios do século XXI”.

O prazo para inscrição vai até o dia 23 de outubro.

Acesse a página da chamada pública e conheça a iniciativa.

Publicado em Notícias

Em destaque